quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Governador e ministro acertam detalhes de missão diplomática para canonização dos mártires

rob e pau
Os mártires de Cunhaú e Uruaçu, vítimas de massacres ocorridos em julho e outubro de 1645 nos municípios de Canguaretama e São Gonçalo do Amarante, serão canonizados em outubro deste ano. Consciente da importância que este reconhecimento da Igreja Católica terá para o turismo religioso de nosso estado, o governador Robinson Faria foi até o ministro das Relações Exteriores, Aluysio Nunes Ferreira Filho, acertar os detalhes da missão diplomática para acompanhar a solenidade em Roma.
O encontro, do qual também participaram o padre Antônio Murilo de Paiva, capelão em Uruaçu, e o secretário de Gestão de Projetos, Vagner Araújo, aconteceu no gabinete do ministro, em Brasília, na noite desta terça-feira (1º).  
A canonização dos 30 Mártires de Cunhaú e Uruaçu representa o coroamento de um longo processo histórico, religioso e cultural que teve início na década de 1970. A autorização para o ato de santificação dos mártires do RN foi confirmada em março deste ano pelo Papa Francisco.
“Este Advento dos mártires, além de muito importante do ponto de vista histórico e religioso, vai representar um salto de desenvolvimento no Turismo. O Rio Grande do Norte vai se converter em um grande centro de peregrinação, com movimentação de fieis do Brasil e do mundo inteiro”, assinalou Robinson Faria.   
Com a canonização dos mártires, o Governo espera fortalecer a atividade turística em Canguaretama e em São Gonçalo, a exemplo do que aconteceu em Santa Cruz. O município localizado a 120 quilômetros de Natal recebe diariamente romeiros, excursionistas e turistas que desejam conhecer a estátua de Santa Rita de Cássia no alto de um morro, a maior imagem católica do mundo. A prefeitura já contabiliza, em média, mil visitas por dia e os registros ultrapassam 350 mil por ano.
“O turismo religioso altera a rotina e a economia da cidade. De ponto de passagem, Santa Cruz virou importante destino turístico. E para que isso aconteça de forma ordenada em Cunhau e Uruaçu, iremos investir na infraestrutura da região”, acrescentou o chefe do Executivo estadual.
HISTÓRIA 
Os mártires potiguares foram vitimas de dois morticínios, ambos no ano de 1645, no contexto das invasões holandesas no Brasil. O primeiro na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho de Cunhaú, município de Canguaretama; outro em Uruaçu, comunidade do município de São Gonçalo do Amarante. Todos foram brutalmente assassinados por ódio à Igreja Católica. Entre eles, estavam os padres André de Soveral e Ambrósio Francisco Ferro, além do camponês Mateus Moreira, que teve o coração arrancado. (Continuar lendo…)
Postar um comentário